Porque existe o feminismo negro

O feminismo negro não é contrário ao feminismo. Ele é apenas um recorte, uma parte que se faz muito necessária para nós mulheres negras.
Para entender a importância do feminismo negro, precisamos entender um pouco sobre a erotização e objetificação da mulher negra. E para entender essas coisas temos que voltar um pouco na história e perceber como a escravidão influenciou a realidade das mulheres negras atualmente.
Que as formas e aparências de pessoas brancas e negras é diferente, isso todos sabem. E se torna ainda mais nítido ao se fazer comparações entre mulheres. As negras são mais voluptuosas, possuem mais curvas, o corpo mais avantajado, bumbum grande, pernas grossas… Esses traços faziam com que as negras despertassem o interesse dos homens brancos na época da escravidão. Como essas mulheres eram escravas, tinham de se submeter a todo tipo de ordem de seus senhores, elas sofriam assédios e estupros sem poderem se opor ou se defender, pois eles eram seus donos.
Quando a escravidão foi abolida, não houve nenhum projeto reparador para os negros livres, tanto que alguns permaneceram trabalhando nas fazendas. Para as escravas livres que não tinham desejo de continuar nas fazendas, existiam, basicamente, duas profissões: empregada doméstica e prostituta.
Além de toda a realidade da escravidão, onde brancos se colocavam como superiores aos negros, os explorando de todas as formas possíveis, as negras tiveram que continuar se submetendo aos brancos com as oportunidades de emprego que elas tinham.
Quando empregadas domésticas, tinham de se submeter às vontades das sinhás que não haviam entendido ainda que a escravidão havia acabado. Os ricos brancos continuavam se sentindo superiores aos negros e mesmo que pagassem salário, pensavam que podiam explorar deles como antes o faziam.
Quando prostitutas, eram mulheres usadas como objetos sexuais e tinham de se submeter a todo tipo de desejo sujo dos homens brancos.
Infelizmente, essas ideias perduram intrínsecas até hoje. A imagem de negras está geralmente atrelada a estas duas profissões. E mesmo que de forma inconsciente, homens ainda atrelam a imagem das negras a símbolos sexuais. Exemplo disso são expressões como “cor do pecado”. Por que minha cor seria um pecado? Ou o fato da Globeleza (grande símbolo do nosso carnaval) ser sempre uma mulher morena, sambando nua e sendo transmitida em horário livre na nossa TV aberta, pra que nossas crianças compreendam desde cedo que o corpo de uma mulher negra, deve sim, ser sexualizado.
Na nossa sociedade machista, as mulheres são inferiores aos homes. Mas na nossa sociedade racista e machista, mulheres negras são inferiores aos homens e às mulheres brancas.
A luta das feministas de modo geral, é por uma igualdade de gênero. As feministas negras lutam pra que haja uma igualdade racial dentro do gênero feminino, para que assim, possamos lutar por uma igualdade de gênero.

Anúncios

Sobre o feminismo

Antes de tudo deve-se esclarecer o que é o movimento feminista. O movimento feminista NÃO é o contrário do machismo. O machismo não é um movimento. É uma cultura. Somos condicionados a pensar na imagem do homem como líder, viril e forte. O machismo prega a superioridade do homem sobre as mulheres, nos colocando como seres submissos e que “servem apenas para atender seus pedidos e desejos”. Enquanto isso, o feminismo prega que homens e mulheres devem ter direitos iguais.
Por ser um movimento que vai contra as opiniões que já vem prontas para consumirmos, o feminismo encontra vários obstáculos pelo caminho.
Há mulheres que não entendem o movimento e pensam que feministas odeiam os homens. Mas nós não odiamos homens (pelo contrário). Nós só aprendemos que eles não são nossa prioridade, nossa prioridade somos nós mesmas. Primeiro praticamos amor próprio para depois praticar amor a outras pessoas, aos homens.
Há aqueles que pensam que feminismo não passa de “mimimi”. Que somos mulheres reclamando sem motivo. Mas estamos reclamando por sermos tão inescrupulosamente assediadas, violentadas, desrespeitadas, agredidas e assassinadas, e a sociedade continuar a achar que isto é algo normal. Porque não é normal.
Nós mulheres feministas compreendemos que a felicidade não está condicionada APENAS a um bom casamento, filhos e um lar bem estruturado. Aprendemos a encontrar a felicidade onde queremos. Eu posso ser uma mulher livre para fazer o quiser da minha vida. Posso sim querer ter uma linda família, mas também posso ser uma workaholic que vive em função do trabalho, assim como posso ser uma viajante sem lugar fixo. Essa é a beleza do feminismo, deixar as mulheres livres para que elas tenham poder sobre sua própria vida.
Porque mulher pode. Mulher pode sim. Se tem uma coisa que mulher pode, é poder.

O Senhor Destino

Eu acredito em destino. Tem pessoas que não gostam de acreditar, pois a ideia de destino gera a ideia de não ter controle sob sua vida. Essa perspectiva até faz sentido. Mas pra mim não. Eu acredito em destino.

Eu vejo muitas coisas pelas quais passei e vejo que se não tivesse passado por elas, não estaria onde estou hoje. Claro, meu mérito teve muito a ver com isso também. Mas será que se a professora Julia tivesse “pegado mais leve no meu pé” eu teria chegado à faculdade? E se o Lucas não tivesse me dado aquele “pé na bunda”. Eu seria resolvida como sou hoje? E se meus pais tivessem me mimado mais, será que eu conseguiria trilhar um caminho diferente do deles?

A resposta pra todas as perguntas é “NÃO!”.

Muitas vezes passei por momentos que não queria, que não gostava, e até mesmo que não esperava. Mas eles me prepararam pra algo.

Me desculpem aqueles que sentem a necessidade de sempre estarem totalmente sob controle de suas vidas, e não conseguirem acreditar em destino. Eu continuo sob controle da minha, e ainda tenho um bom motivo pra me incentivar em momentos difíceis.

Nada acontece por acaso. Nada passa despercebido pelo grande e fabuloso destino. Acredite! Tudo que acontece, acontece por algum motivo.

A dificuldade em decidir

Decisões são complicadas. E se tornam pior quando é necessário decidir por outras pessoas. Ou quando as decisões envolvem outras pessoas. Quando é necessário escolher algo que mudará a direção da sua vida, tambem não é nada fácil.
Mas o que tem de tão difícil em fazer escolhas? Por que é tão complicado?

Quando eu escolho uma coisa, eu abro mão de outra. Se eu escolho tomar sorvete de chocolate, eu abri mão de tomar sorvete de morango, ou de limão.

Em um âmbito maior, se eu escolhi algo pra mim, pra minha vida, eu abri mão de ir pra outro caminho. Se eu escolhi fazer artes no lugar de medicina, escolhi uma vida de incertezas em vez de uma vida com uma possível carreira brilhante.

Mas aí que tá o charme da escolha e da incerteza do nosso futuro. Nada garante que eu seja feliz fazendo medicina, ou que tenha uma carreira, de fato, brilhante. Assim, como nada garante que eu não seja uma artista famosa. Com obras espalhadas por vários museus pelo mundo.

A dificuldade da escolha, vem da não certeza se esta é a escolha correta. Mas convenhamos que as unicas alternativas que são pre determinadas em certas ou erradas, são as alternativas das provas.

As 5 melhores playlists do Spotify

O Spotify é hoje uma ótima ferramenta para quem precisa ter uma trilha sonora pra cada momento da vida. Tipo eu. Tem várias playlists prontas e com os mais diversos temas. É bacana também pra conhecer novas músicas, novos cantores, novas bandas… Enfim, Spotify é ótimo!

Por isso que resolvi fazer uma lista com as mehores playlists do Sopotify (aquelas feitas pelo Spotify mesmo). Prepara o fone de ouvido ou o auto falante e vem comigo!

1. Deu Match

Essa playlist é uma parceria do Spotify com o Tinder, e a ideia é levar amor através da música. Me convenceu bem. Tem muitas músicas boas pra compartilhar com seu amor.

 

2. Tenha um ótimo dia

Não tem nome melhor pra essa playlist do que Tenha um ótimo dia. Sério. Sabe aqueles dias que você acorda pra baixo? Super desanimado? Então. Basta dar play nesta playlist que a mágica vai se fazer sozinha!

 

 

3. Desplugado

Dez em cada dez pessoas que conheço ouvem MUITO esta playlist. Ela tem apenas músicas nacionais e acústicas e é perfeita para aquele momento mais tranquilo, que você quer relaxar e ouvir música boa.

 

 

4. Pulando da cama

Uma coisa que eu amo nas playlists do Spotify é o quanto o nome da playlist casa perfeitamente com as músicas e em como você se sente ouvindo. Pulando da cama é uma playlist exatamente pra isso. Pra te fazer acordar cedo naqueles dias que tá chovendo lá fora e a vontade de continuar na cama é muito grande.

 

 

5. Brasil Anos 80

Eu amo música dos anos 80. Letras ótimas, e um ritmo bem diferente do que geralmente ouvimos hoje. Quando vi esta playlist foi um amor a primeira ouvida. Ela passeia por Cazuza, Roupa Nova, Roberto Carlos, Titãs, Legiaão Urbana… Enfim, apenas mestres do pop nacional dos anos 80.

 

 

E aí? Curtiu? Espero que sim! E você acha que tem alguma playlist que faltou aqui?

 

Beijos!

Filmes Cult: Old Boy

Olá pessoas que curtem um filme cult. E as vezes se acham superiores àqueles que preferem um bom e velho clichê hollywoodiano (tá tudo bem, eu também sou assim). Sabendo que filmes cults são ótimos e que é difícil achar alguém pra discutir sobre ele depois, resolvi comentar todo filme cult que eu assistir e postar aqui.

O primeiro comentário vai ser sobre Old Boy.  Nunca assistiu? Não sabe o que tá perdendo! Sério. Já até citei esse filme na minha lista de Melhores filmes com Plot Twist.

Lembrando que o filme Old Boy que estou me referindo é a versão original sul coreana de 2003. Ainda não assisti o remake, mas estou inclinada a acreditar que o original é melhor.

Oh Dae Su é sequestrado após uma noite de bebedeira, e mantido em cárecere privado por longos 15 anos sem saber quem o prendeu, ou o porquê. Em companhia apenas de uma televisão, ele acompanha os noticiários e vê que sua esposa foi assassinada e que ele é um potencial suspeito. Durante os anos presos ele inicia um treinamento para conseguir fugir e se vingar de quem o sequestrou. Quando ele é liberto 15 anos depois, ele tenta recuperar o tempo perdido iniciando uma busca por sua filha e pelo seu sequestrador, com a ajuda de Miido, uma cozinheira de sushi por quem ele acaba se apaixonando. Quando ele consegue descobrir quem o prendeu, inicia-se então um jogo, no qual ele tem apenas 5 dias para descobrir o porquê, ou o sequetrador mataria Miido.

O filme tem muitas cenas de ação. Muita luta. Morte. Com o roteiro baseado num mangá homônimo que faz parte da Trilogia da Vingança,  acho que toda violência que tem em cena faz jus à história.

A versão original de Old Boy foi lançada em 2003 e dirigida por Park Chan-wook. Em 2013 foi lançada uma versão americana do filme com o nome de Old Boy: Dias de vingança, dirigida por Spike Lee.

Quando eu assisti esse filme fiquei com um verdadeiro nó na cabeça. Parei pra pensar nele por pelo menos uns 10 minutos. E passei o resto da semana tendo flashs. Ele mistura romance, ação e um roteiro bem escrito no medida certa.

Sabe quando dizem que vingança é um prato que se come frio? Essa frase faz todo sentido em Old Boy. Não vou entregar o filme todo, mas a real vingança não é a que Oh Dae Su faz, e sim a que ele sofre passando tantos anos presos e ainda passando por tantas coisas após ser liberto. E é uma vingança muito bem eleborada, tão bem elaborada que a motivação se torna algo – podemos dizer – simples.

Vale muito a pena assistir esse filme, até mesmo pra sairmos do padrão de filmes que dominam os cinemas. Você já viu um filme sul coreano? Eu também não tinha assistido, e fiquei muito surpreendida!

Bônus: Há uma frase que estva escrita no quadro que ficava pendurado no quarto que Oh Dae Su ficou preso, e ele sempre a repetia: Ria e o mundo rirá com você. Chore e chorará sozinho.

Beijos!

A geração do imediatismo

Nós somos a geração de pessoas que querem tudo na hora. Tudo pra já.  Ou pra ontem. Sofremos de ansiedade desde cedo. E de problemas de saúde provenientes da ansiedade.  Dor de cabeça.  Dor de estômago. Insônia.  Cansaço. 
E sabe, a gente até cansa. Mas ignora o cansaço. Porque precisamos concluir o que estamos fazendo. Temos que aproveitar a juventude pra conquistar o que queremos. Precisamos correr contra o tempo. O tempo está contra nós.

Temos que está bem informados. Saudáveis. Bonitos. Temos que ter o emprego dos sonhos aos 21. O parceiro ideal aos 23. E estar casados, no máximo, aos 25. Aos 26 temos que ser pais. Sabe como é, não podemos esperar muito. A nossa chance pode passar.

E claro, nesse plano perfeito não há chance de erros. Não temos tempo pra errar.

E o que ganhamos no final?  Será que com esse plano perfeito, estaremos tendo uma vida perfeita? Será que você criança ficaria orgulhosa do adulto que você está se tornando?