O Senhor Destino

Eu acredito em destino. Tem pessoas que não gostam de acreditar, pois a ideia de destino gera a ideia de não ter controle sob sua vida. Essa perspectiva até faz sentido. Mas pra mim não. Eu acredito em destino.

Eu vejo muitas coisas pelas quais passei e vejo que se não tivesse passado por elas, não estaria onde estou hoje. Claro, meu mérito teve muito a ver com isso também. Mas será que se a professora Julia tivesse “pegado mais leve no meu pé” eu teria chegado à faculdade? E se o Lucas não tivesse me dado aquele “pé na bunda”. Eu seria resolvida como sou hoje? E se meus pais tivessem me mimado mais, será que eu conseguiria trilhar um caminho diferente do deles?

A resposta pra todas as perguntas é “NÃO!”.

Muitas vezes passei por momentos que não queria, que não gostava, e até mesmo que não esperava. Mas eles me prepararam pra algo.

Me desculpem aqueles que sentem a necessidade de sempre estarem totalmente sob controle de suas vidas, e não conseguirem acreditar em destino. Eu continuo sob controle da minha, e ainda tenho um bom motivo pra me incentivar em momentos difíceis.

Nada acontece por acaso. Nada passa despercebido pelo grande e fabuloso destino. Acredite! Tudo que acontece, acontece por algum motivo.

Anúncios

As 5 melhores playlists do Spotify

O Spotify é hoje uma ótima ferramenta para quem precisa ter uma trilha sonora pra cada momento da vida. Tipo eu. Tem várias playlists prontas e com os mais diversos temas. É bacana também pra conhecer novas músicas, novos cantores, novas bandas… Enfim, Spotify é ótimo!

Por isso que resolvi fazer uma lista com as mehores playlists do Sopotify (aquelas feitas pelo Spotify mesmo). Prepara o fone de ouvido ou o auto falante e vem comigo!

1. Deu Match

Essa playlist é uma parceria do Spotify com o Tinder, e a ideia é levar amor através da música. Me convenceu bem. Tem muitas músicas boas pra compartilhar com seu amor.

 

2. Tenha um ótimo dia

Não tem nome melhor pra essa playlist do que Tenha um ótimo dia. Sério. Sabe aqueles dias que você acorda pra baixo? Super desanimado? Então. Basta dar play nesta playlist que a mágica vai se fazer sozinha!

 

 

3. Desplugado

Dez em cada dez pessoas que conheço ouvem MUITO esta playlist. Ela tem apenas músicas nacionais e acústicas e é perfeita para aquele momento mais tranquilo, que você quer relaxar e ouvir música boa.

 

 

4. Pulando da cama

Uma coisa que eu amo nas playlists do Spotify é o quanto o nome da playlist casa perfeitamente com as músicas e em como você se sente ouvindo. Pulando da cama é uma playlist exatamente pra isso. Pra te fazer acordar cedo naqueles dias que tá chovendo lá fora e a vontade de continuar na cama é muito grande.

 

 

5. Brasil Anos 80

Eu amo música dos anos 80. Letras ótimas, e um ritmo bem diferente do que geralmente ouvimos hoje. Quando vi esta playlist foi um amor a primeira ouvida. Ela passeia por Cazuza, Roupa Nova, Roberto Carlos, Titãs, Legiaão Urbana… Enfim, apenas mestres do pop nacional dos anos 80.

 

 

E aí? Curtiu? Espero que sim! E você acha que tem alguma playlist que faltou aqui?

 

Beijos!

Preciso falar sobre o feminismo

Pra mim é quase impossível iniciar um “papo cabeça” com outra mulher e não agregar a esta conversa alguns conceitos sobre feminismo. E entre conversas aqui e ali, já ouvi as mais diversas opiniões sobre o tema. Alguns acham que não passa de um movimento modinha e que logo passa. Outros que nao faz sentido e que é desnecessário. Mas eu quero falar sobre o feminismo e o que ele representa pra mim.
Lembro de quando tive consciência do que era o movimento feminista pela primeira vez. E eu achei ridículo. “Qual a necessidade dessas mulheres serem assim? Mulher tem que ser meiga e feminina.” Mas o tempo passa, fui crescendo e vi que eu queria ter uma voz ativa, queria que meus pensamentos fossem ouvidos. E do “desnessário” o feminismo passou pra “viável em algumas discussões”. Se os feministas debatem sobre a liberdade da mulher, e eu, mulher, quero ser livre, creio que seria conveniente conhecer isso um pouco mais a fundo.

Quando eu já sabia a importância do feminismo na nossa sociedade, ainda falava coisas como “sou simpatizante com o feminismo, mas não sou feminista”. Ainda não entendo o que eu queria falar com isso. Seria medo de ser taxada de louca como eu mesmo taxava as feministas antes? Talvez.

Mas vejam só, não há motivo pra se envergonhar de ser feminista. Ou temer por ser chamada de louca e coisas afins. Porque loucas nós seríamos se não lutássemos pelos nossos direitos. Vergonha seria aceitar não ter uma voz e um papel ativos na sociedade. Vergonha é aceitar que nossos direitos são inferiores aos dos homens. Vergonha é ter de aceitar calada cada assédio que passamos todos os dias só porque “somos mulheres”.  Vergonha é ser taxada de sexo frágil, enquanto, na realidade aceitamos por tanto tempo essa submissão aos homens, e agora lutamos fortemente todos os dias em busca de representatividade, respeito e liberdade.

4 músicas pra se apaixonar por Anavitória

Se você gosta de músicas tranquilas, tocadas só à voz e violão, e não conhece Anavitória, não sei em qual mundo você vive!

Primeiramente, Anavitória não é uma. Mas sim duas mocinhas. A Ana e a Vitória. Elas são super fofas e estam fazendo muito sucesso com a música “Singular”. Se você já ouviu essa e tá na dúvida se gosta ou não de Anavitória, é só olhar a lista que fiz com outras 4 músicas delas que te farão se apaixonar de vez!

1. Cor de Marte


2. Dengo


3. Nós


4. Trevo (Tu) part. Tiago Iorc

E aí, gostaram? Claro que sim né! Elas são tão fofinhas. Dá vontade de ouvir as mesmas músicas o dia todo. Além das letras serem lindas, transmitem uma sensação de paz e calma na alma.

Anavitória, aguardo vocês em BH, hein?!

Beijos!

A positividade ás vezes cansa

Não se engane! Sou uma das pessoas mais positivas que conheço. Quando vejo as coisas dando errado, eu simplesmente paro e começo a repetir meu mantra “vai dar tudo certo”. Aliás, não o falo apenas quando as coisas estão caminhando para o erro. Eu uso esse mantra sempre. Em qualquer situação. Funciona pra me acalmar e me fazer pensar numa saída de emergência.
Quando me deparo com momentos complicados, costumo pensar que a mesma energia que alguém gasta sendo negativo, poderia ser gasta sendo positivo. E a positividade gera esperança e motivação. Te faz seguir mesmo com tudo desmoronando porque lá no fim do túnel, você consegue ver uma luz.

A situação fica complicada quando nenhuma positividade te faz enxergar essa luz. Quando seu desejo é de simplesmente desistir porque não há perspectivas de melhorias. Neste tipo de situações, a última coisa que você quer é alguém ao seu lado repetindo que “vai dar tudo certo”. Qualquer positividade é nula. Porque você já tentou achar vertentes pra melhorar a situação e não encontrou. E aquela pessoa que está ali, apenas tentando te ajudar, não faz ideia da complexidade do que está acontecendo.

Neste ponto, a positividade te cansa. Não porque você é chato ou negativo. Apenas porque perdeu as esperanças. Porque não vê saídas inteligentes.

Quer saber o que fazer nessas horas? Pensar que “vai dar tudo certo”. Sabe por quê? Como eu já disse, porque a energia que você vai gastar imaginando tudo dando errado, será a mesma gasta imaginando um jeito das coisas darem certo.

Quando eu percebi que te amo

Foi quando eu percebi que estava concentrada em te ver sorrir enquanto conversava com seus amigos. O assunto da conversa? Não importa. Meu assunto ali era o teu sorriso tão leve e espontaneo.

Foi quando a gente acordou naquele domingo nublado e você ficou com raiva porque tínhamos combinado um dia no parque. Você se recusou a sair de casa num dia tão “feio”. E passou o dia todo emburrado enquanto eu tentava te animar dizendo que ainda teríamos muitos dias ensolarados no parque.

Ou quando a Belinha (sua cadela) morreu. Você ficou tão triste. E tudo que eu queria era arrancar aquela tristeza de você. Não conseguia te ver daquele jeito. Sua tristeza era a minha tambem.

Quando passei duas semanas na casa da minha vó no interior e você foi me buscar as 04h da manhã na rodoviária usando moletom e chinelo com meia. Aquele brilho no seus olhos… Era saudade, não era? Eu sei porque tambem tava morrendo de saudade. E foi maravilhoso te abraçar naquele momento.

Talvez quando eu torci o pé indo pra casa e você queria me carregar no colo até lá. Mesmo sabendo que você não aguentaria, você insistiu veemente. Mas falei que chamando um táxi você já seria meu herói. E realmente foi meu herói.

Não sei se foi um desses momentos. Todos eles juntos. Ou um pouquinho de cada. Não sei como foi, quando foi ou onde foi. Só sei que hoje eu pude perceber que eu te amo.

Sobre o filme 10 Coisas que Odeio em Você

Não canso de falar de amorzinhos meus e esse filme com certeza é um! ❤

Asssti muito esse filme quando tinha entre 13/16 anos. E posso afirmar que ele me influenciou muito a gostar de cinema, principalmente das comédias românticas.

Sinopse: O filme de 1999 conta a história de Cameron (Joseph Gordon-Levitt) que acaba de chegar a uma nova escola e já se apaixona por Bianca (Larisa Oleynik), mas o pai da moça é muito rígido e tem a regra de que ela só pode namorar quando sua irmã mais velha tambem namorar. Acontece que a irmã de Bianca é Kat (Julia Stiles): a megera da escola. Kat é antissocial e orgulhosa, total oposto de sua irmã que é meiga e popular. Surge então um problema para Cameron, mas junto com seu amigo Michael (David Krumholtz) eles tramam o plano perfeito e acham o cara ideal para sair com Kat: o misterioso bad boy Patrick Verona (Heath Ledger).

Havia muito tempo que eu tinha visto esse filme, mas bateu saudade e tive que assisti-lo novamente. E não foi diferente, me mentive apaixonada pela história. O filme é baseado na peça “A Megera Domada” de Shakespeare, ainda não li essa peça dele, mas depois de rever o filme fiquei com muita vontade de ler.

Como eu disse na sinopse, a trama toda acontece por causa do casal Cameron e Bianca, mas eles estão longe de ser o melhor casal do filme. Kat e Pat são tão diferentes e ao mesmo tempo tão parecidos que não sobra espaço pra outros casais. A resistência dela para se envolver e a persistência dele para conquistá-la faz surgir a cena mais fofa do filme. Patrick (Heath Ledger) cantando a música “Can’t take my eyes off you” na quadra da escola diante durante uma aula de educação física.


Como não amar? ❤

Bônus: o poema que a Kat faz como trabalho escolar e que é uma indireta (bem direta) pro Pat. Tão fofo!

401059_343385785683090_1762564808_n_large

 

Beijos e muito “I love you, baby” pra vocês!